30ª Bienal de São Paulo - A iminência das poéticas

Exposição
Pavilhão da Bienal - Parque Ibirapuera
07/09/12 a 09/12/12 -
Grátis

Parque Ibirapuera recebe a 30ª Bienal de São Paulo - A iminência das poéticas.

A 30ª Bienal de São Paulo - A iminência das poéticas não possui um tema, mas um motivo. Esse motivo é o ponto de partida do qual se deduz uma série de perguntas sobre o tempo presente – entre elas, como a arte contemporânea funciona em situação de iminência, em um mundo imprevisível, marcado por acontecimentos que estão por vir e que nossos sistemas de pensamento não são capazes de assimilar plenamente.

Nesse âmbito, ligam-se duas ideias: a de iminência – entendida como aquilo que está a ponto de acontecer, como o que está suspenso, em vias de efetivação – e a de poética – entendida como discurso, como aquilo que se expressa, que se cala, que se transforma e que ganha potência comunicativa por meio da linguagem das artes. De acordo com o curador Luis Pérez-Oramas, a iminência também se manifesta pelo fato de que as obras de arte acontecem adquirindo, cada vez, uma forma diferente. A poética, por sua vez – em um sentido muito antigo resgatado pela curadoria –, é o arsenal simbólico que permite o estabelecimento de estratégias discursivas, cada vez mais presentes na arte contemporânea.

Cerca de 3 mil obras de 111 artistas - 50% destas produzidas especialmente para a exposição – compõem o universo da 30ª Bienal. Um olhar sobre os processos criativos de artistas de diversas procedências e gerações torna A iminência das poéticas um aparato discursivo no qual o que prevalece são os vínculos: as relações entre obras e artistas e sua ressonância em falas, encontros, discussões públicas e eventos poéticos ou performáticos.

Constelações e itinerâncias

A 30ª Bienal de São Paulo manifesta-se a partir da noção de constelação. Cada componente da Bienal foi pensado para funcionar constelarmente. A expografia da mostra permite agrupamentos de obras de cada artista e potenciais relacionamentos entre eles. As normas que regem a identidade visual também respondem à ideia de constelação através da escolha tipográfica que acolhe todas as famílias de tipos monoespacejados e em 30 cartazes, fruto do processo coletivo organizado para conceber essa identidade.

Finalmente, o material educativo da mostra propõe um repertório de construção constelar de artistas participantes da Bienal e de outras referências, como escritores, pintores e filósofos. Além do Catálogo de constelações e do Guia da exposição, a 30ª Bienal traz uma coleção composta por títulos inéditos em português de autores-chaves para a elaboração conceitual da mostra, realizada em parceria com a editora Hedra.

Além da exposição principal no Pavilhão Ciccillo Matarazzo, no Parque Ibirapuera, A iminência das poéticas também estará presente no Museu da Cidade (Casa Modernista, Casa do Bandeirante e Capela do Morumbi), no MASP, no Museu de Arte Brasileira da FAAP (MAB-FAAP) e no Instituto Tomie Ohtake, bem como em intervenções pela cidade – na avenida Paulista, na Estação da Luz e em diversas obras e eventos pelas ruas de São Paulo.

Foto por: DIVULGAÇÃO
Pavilhão da Bienal - Parque Ibirapuera Cidade: São Paulo - SP Preço: Grátis Endereço: Av. Pedro Álvares Cabral, s/nº, Portão 3 - Parque Ibirapuera
Datas: 7 de setembro a 9 de dezembro de 2012
Horários: Segundas (fechado) | Terças, quintas, sábados e domingos: visitas das 9h às 19h (entrada até as 18h) | Quartas e sextas: visitas das 9h às 22h (entrada até as 21h)

TAGS:

Relacionados

Shows 5

Teatro 5

Oficinas 5

matérias 5